IBERBONSAI.pt ::
Contactos
Qtd:
0
Total:
€ 0,00
0
Carrinho de Compras

 

 

 

Home

PESQUISA AVANÇADA

ÁREA DE CLIENTE

963 907 899

SABER MAIS

NOVIDADES

Conheça as nossas novidades

NEWSLETTER
iberbonsai-acer-buergerianum-

 

 

                                                   

 

bonsai acer buergerianum

Originário da China.

Deve o nome ao senhor Heinrich Buerger, colector no Japão para o governo holandês e ao latino acer que quer dizer duro, devido à rigidez da sua madeira.

 

Na natureza o acer buergerianum alcança 10 a 15 metros de altura.

O bonsai acer buergerianum é também denominado acer tridente.

Casca cinzenta lisa com ligeiras manchas alaranjadas.

Folhas trilobadas com três veias bem delimitadas em cada lóbulo popularmente chamado de acer tridente. Magnífica cor amarelo dourado no outono.

Frutos com asas, de 1.5 cm a 2.5 cm, verde a vermelho acastanhado quando maduros.

O bonsai acer buergerianum é um ícone indispensável numa colecção além dos áceres palmatum, cuja diferença reside na forma da folha com cinco a sete pontas em vez das três do buergerianum.

Os mais frequentes em acer palmatum são:

acer palmatum kiyohime: acer de pequeno porte, talvez o mais pequeno dos aceres palmatum, com ramificação corpulenta e pequenas folhas de três a quatro centímetros, com 5 lóbulos e com a seguinte particularidade: o bordo da folha que é verde na primavera passa a amarelo alaranjado no fim do verão e outono. 

Cultivar de muito difícil manuseamento, sobretudo na aramação por ter ramos frágeis e quebradiços. Cuidado também para não desestruturar a copa, o acer palmatum kiyohime não costuma reconstruir o ápice com facilidade.

 

acer palmatum shishigashira: é conhecido por “cabeça de leão” graças às suas riquíssimas folhas frisadas e muito recortadas, de cor verde brilhante que se mantém até ao outono, assim como da sua fascinante e muito delicada floração.  

 

acer palmatum atropurpureum: é o acer palmatum que mantém sempre as suas folhas vermelho escuro e um pouco maiores que os demais, podendo mudar ligeiramente de tonalidade no outono.

O acer palmatum atropurpureum não tolera muito bem a desfolhação.

acer palmatum atropurpureum deshojo: em japonês “shojo” quer dizer orangotango ou macaco de face vermelha. 

acer palmatum arakawa: esta variedade de acer tem um crescimento muito vigoroso.

acer palmatum katsura: impressionante pela sua tonalidade laranja brilhante.

acer palmatum yamamomiji: este acer é notável pelo seu crescimento rápido e pelas suas sensacionais cores.

 

Multiplicação do acer buergerianum por sementeira.

Em Março-Abril é altura das sementeiras de bonsai. Podemos conseguir quase todos os bonsais a partir de semente. 

A sementeira é a melhor maneira de obter um nebari perfeito, contrariamente ao método de estacas e alporquia.

As sementes devem ser conservadas hermeticamente, na gaveta da fruta e legumes do frigorífico.

A sementeira é a parte mais difícil na obtenção de um bonsai desde o início.

Podemos ter quase 100% de sucesso ou obter 1 ou 2% . Na natureza passa-se exactamente o mesmo, há anos com muita proliferação e outros com uma taxa muito baixa.

De qualquer modo convém ter em consideração que as sementes produzidas numa floresta, logo a seguir a queda das mesmas e caso a taxa de sucesso se aproximasse dos 100%, a proliferação era de tal ordem que a própria floresta entraria em colapso por causa da sobrepopulação.

Felizmente a natureza regula muito bem essa parte, as sementes ficam adormecidas durante o inverno e quando a primavera chega, então desenrola-se a germinação, mas mais de metade das sementes nunca verão a luz do dia.

Dito isto, percebemos agora que temos que imitar a Natureza efectuando a “Estratificação” o equivalente a dormência na natureza, processo incontornável na realização da sementeira.

Nem todas as sementes devem passar por este processo.

Estratificação a frio 3/5º C durante três a quatro meses e semear na primavera.

 

O que é a Estratificação?

A estratificação consiste em guardar as sementes num meio específico, num local quente ou frio dependendo das espécies.

Algumas espécies necessitam de uma Estratificação quente para amadurecer o embrião da semente.

A Estratificação a frio ajuda a semente a sair do período de “dormência” fragilizando o caroço, que fica mais quebradiço, é o caso da semente de bonsai acer buergerianum

Na prática, a estratificação consiste em colocar as sementes numa mistura de areia com turfa fina (50/50), ligeiramente humidificada, mais ou menos 12-15%.

É recomendável peneirar a mistura, tanto a areia assim como a turfa fina, antes de colocar as sementes, será assim mais fácil recuperar as sementes no fim da estratificação.

Uma vez as sementes colocadas na mistura areia/turfa, juntar tudo num saco plástico, esvaziar o ar e selar hermeticamente.

Colocar o saco plástico num local a 20ªC para uma estratificação quente e/ou no frio a 4ªC para uma estratificação fria.

O tempo de estratificação quente e/ou fria depende das espécies, três a quatro meses como já vimos para as sementes de bonsai acer buergerianum.

Os principais passos a seguir para realizar a sementeira do bonsai acer buergerianum:

Primeiro, preparar um substrato composto por 1/3 de areia fina (de preferência lavada) e 2/3 de substrato a base de folhas (tipo turfa mas muito fino).

Segundo, encher os recipientes ou vasos, pisar ligeiramente com um pau ou uma tábua e repartir as sementes no substrato.

Cobrir as sementes com o mesmo substrato e colocar os recipientes ou vasos a 20/24ºC (à luz) durante o dia e 14/15ºC durante a noite.

Podemos cobrir com um filme plástico transparente para manter a temperatura e higrometria, mas cuidado com os pingos de água que podem provocar podridão.

Nunca cobrir uma semente com substrato com mais que uma vez a sua espessura.

Proteger o bonsai acer buergerianum do frio com temperatura negativa (a partir de - 5ºC) e nunca deixar as raízes alagadas (podem apodrecer), somente manter umidade mínima. Cuidado com as queimaduras solares, convém proteger do sol no verão pelo menos nas horas mais quentes.

Transplante do bonsai acer buergerianum: a cada dois anos com uma mistura de Akadama Hard Quality (2/3) e Kanuma selected (1/3).

é uma fase necessária e indispensável na vida do bonsai. De Dezembro até meados de fevereiro para proceder ao transplante do bonsai.

Em princípio esta operação deverá ser feita a cada 3 a 4 anos, o torrão deve ter uma camada de raízes a sua volta, se não tiver pode não ser o momento certo para o transplante e terá que esperar mais um ano.

 

Ao transplantar nunca utilizar  um vaso muito maior, por norma acrescentamos somente mais 5 cm à medida do vaso antigo.

Cuidado com o substrato. A escolha certa do substrato é garantia da boa saúde do bonsai.

Um bom substrato deve reter a humidade necessária e deve garantir a circulação do ar.

Aconselhamos sempre a Akadama Hard Quality para a maioria dos bonsais, Kiryuzuna para os Pinus e Juniperus (pode misturar com 50 % de Akadama Hard Quality para árvores mais jovens), Kanuma para Azaleas, Rhododendrons, (também pode misturar com 50% de Akadama Hard Quality para árvores mais jovens). Para os Aceres e o bonsai acer buergerianum utiliza-se uma mistura de 70% de Akadama Hard Quality e 30% de Kanuma Select.

 

O transplante realiza-se apenas quando o torrão ficar coberto de raízes, conforme imagem a seguir.

 

 

Passo 1:

Numa primeira fase convém desembaraçar e soltar as raízes com um ancinho, primeiro a volta do torrão e a seguir por baixo da árvore.

No transplante do bonsai, deixar sempre pelo menos metade do torrão existente.

Passo 2:

A seguir cortar as raízes quase rente ao torrão, com uma tesoura grossa.

Nesta fase o bonsai está pronto para ser envasado.

 

Passo 3:

Escolher o vaso e colocar as redes nos furos maiores, no fundo do vaso, com ajuda de arame, conforme imagens abaixo:

 

 

Passo 4:

Estabilização do bonsai no vaso.

Cortar de 20 a 40 cm de arame (consoante o tamanho do vaso e do respectivo bonsai) e passá-lo nos furos mais pequenos, a parte solta passando no interior do vaso e virada para cima.

Advertência: nunca utilizar um arame muito fino (inferior a 2 mm), podia causar danos irreparáveis cortando as raízes.

 

Passo 5:

 

Substrato. Escolher sempre um substrato adequado, neste caso uma mistura de akadama hard quality setenta por cento com kanuma select trinta por cento..

Mistura perfeita com qualidade que assegura a drenagem, a aeração e a retenção dos nutrientes.

Começar por colocar um montículo no meio no vaso, sem espalhar.

 

Passo 6:

Colocar o bonsai no vaso e passar os respectivos arames (dos furos pequenos) através do torrão. 

Mover o bonsai em pequenos círculos horizontais em cima do substrato até ele ficar na posição certa.

 

Passo 7:

 Cruzar e torcer os arames na parte superior do torrão (ver imagens abaixo)

Passo 8:

Encher passo a passo o resto do vaso, mas atenção, o segredo está aqui.

Colocar um pouco de substrato no vaso e empurrar o substrato com um pauzinho afiado, mas com a ponta arredondada para não ferir as raízes.

Repetir a operação até o espaço no vaso estar completamente cheio.

Qual o objectivo do “pauzinho”?

 

Simplesmente impedir que fiquem bolsas de ar (sem terra) dentro do torrão, razão principal pela morte do bonsai por desidratação das raízes e consequentemente morte dos ramos.

 

 

Passo 9:

Regar abundantemente até a água sair pelos furos do vaso.

O bonsai está agora pronto para aguentar mais 3 ou 4 anos, basta não esquecer de adubar com adubo líquido de Fevereiro até Setembro e com um adubo orgânico em Novembro como o Biogold por exemplo.

Pode consultar a “fertilização do bonsai”.

 

Recapitulamos quais são as regras básicas para conseguir o transplante do bonsai:

Quando as árvores caducas perderam as folhas (fim de Dezembro até meado de Fevereiro), ou seja com seiva descendente ou parada, é altura certa para fazer o transplante do bonsai de exterior.

Utilizar sempre um substrato de qualidade com elevado grau de retenção de água e nutrientes e que deixa circular o ar com facilidade.

Nunca deixar bolsas de ar no torrão.

Prender o bonsai no vaso com arame, para não correr o risco de partir raízes na manutenção da planta.

 

Alguns dos bonsais buergerianum mais conhecidos:

Acer buergerianum Koshi miyasama, folha verde no verão e vermelho brilhante no outono.

Acer buergerianum goshiki kosode, folha rosa-alaranjada na primavera e amarelo/ laranja/ vermelho no outono.

Acer buergerianum Hanachiru sato, com folha rosa pálido na primavera e vermelho no outono.

Acer buergerianum Hime kaede, folha bronze esverdeado, vermelho alaranjado em fim de estação.

Acer buergerianum Joroku aka me, folha verde azeitona na primavera e amarelo alaranjado no outono.

Acer buergerianum Kifu nishiki, folha verde escuro no início e vermelho alaranjado no outono.

Acer buergerianum Goshiki kaede, folha verde claro misturado com rosa na primavera e amarelo alaranjado vermelho no outono.

Acer buergerianum Mino yatsubusa, verde escuro com tonalidade de cobre no outono. Folha comprida.

 Acer buergerianum Mitsuba to kaede, folha verde brilhante no início e amarelo vif no outono.

 

Em conclusão: 

O bonsai acer buergerianum é uma árvore de crescimento rápido e de folha caduca.

  

É muito apreciado pela sua folha pequena e com três "dentes", daí ser mais conhecido pelo nome de acer tridente, folha com espectaculares tonalidades no outono que vão do amarelo passando pelo alaranjado, vermelho, bronze, cobre ...

 

ver mais bonsai acer buergerianum

 

posts >

 

Termos e Condições
A iberbonsai
Dicas e Conselhos
Catálogo
Siga-nos

Todos os valores incluem IVA à taxa em vigor

Copyright © IBERBONSAI.pt 2020

Desenvolvido por Optimeios

UA-144250790-1