IBERBONSAI.pt ::
Contactos
Qtd:
0
Total:
€ 0,00
0
Carrinho de Compras

 

 

 

Home

PESQUISA AVANÇADA
iberbonsai-tudo-sobre-bonsais-

 

Tudo sobre bonsais

 

O bonsai é originário da China.

"Pun-Sai" na época dos “Tsin” (século III  A.C).

No período “Kamakura” (1185-1333),o bonsai foi desenvolvido por religiosos budistas.

Depois, muitas escolas nasceram, cada uma com estilos e pensamentos diferentes.

No Japão foi a partir do século VI que se começa pela primeira vez a falar de bonsai.

Em Japonês quer dizer“árvore criada num prato”.

O bonsai é a réplica duma árvore na natureza.

A arte do bonsai consiste em formar uma árvore para que se mantenha pequena, mas com todas as características para parecer uma árvore muito antiga. É a réplica fiel de uma árvore na natureza, mas com tamanho reduzido.

O processo pode perdurar várias gerações, visto o bonsai ser uma planta viva, sempre em crescimento, a sua respectiva formação nunca será considerada como terminada e definitiva.

 

Como se consegue um bonsai?

 

A partir de sementes, estacas, plantas de viveiro.

 Podemos formar um bonsai a partir de qualquer planta desde que seja lenhosa.

Existem vários estilos para formar o bonsai como podemos verificar no Glossário.

A formação consegue-se principalmente com a poda, com ferramenta apropriada e a ligadura com arame de cobre ou de alumínio anodizado.

 A formação de um bonsai nunca está terminada, todos os anos devemos proceder a determinadas tarefas a fim de obter o modelo e estilo pretendido.

iberbonsai-serissa-phoetida-22 anos


 

Conseguir um bonsai a partir de sementes:

Em Março-Abril é altura das sementeiras de bonsai. Podemos conseguir quase todos os bonsais a partir de semente. 

A sementeira é a melhor maneira de obter um Nebari perfeito, contrariamente ao método de estacas e alporquia. 

As sementes devem ser conservadas hermeticamente, na gaveta da fruta e legumes do frigorífico.

A sementeira é a parte mais difícil na obtenção de um bonsai desde o início.

A Estratificação consiste em guardar as sementes num meio específico, num local quente ou frio dependendo das espécies. A Estratificação a frio ajuda a semente a sair do período de “dormência” fragilizando o caroço, que fica mais quebradiço.

Na prática, a estratificação consiste em colocar as sementes numa mistura de areia com turfa fina (50/50), ligeiramente humidificada mais ou menos 12-15%.

 É recomendável peneirar a mistura, tanto a areia como a turfa fina, antes de colocar as sementes, será assim mais fácil recuperar as sementes no fim da estratificação.

Uma vez as sementes de bonsais colocadas na mistura areia/turfa, juntar tudo num saco plástico, esvaziar o ar e selar hermeticamente.

Colocar o saco plástico num local a 3/5ºC para uma estratificação fria.

Realização da sementeira do bonsai: primeiro, preparar um substrato composto por 1/3 de areia fina (de preferência lavada) e 2/3 de substrato a base de folhas (tipo turfa mas muito fino). 

Segundo, encher os recipientes ou vasos, pisar ligeiramente com um pau ou uma tábua e repartir as sementes no substrato.

 Cobrir as sementes com o mesmo substrato e colocar os recipientes ou vasos a 20/24ºC (à luz) durante o dia e 14/15ºC durante a noite.

Podemos cobrir com um filme plástico transparente para manter a temperatura e higrometria.

 Nunca cobrir uma semente com substrato com mais  que uma vez a sua espessura.



 

.

       

Multiplicação de bonsai por estaca:

 

Semi lenhosa,  é a estaca de mais fácil elaboração e a mais habitual no mundo hortícola e no bonsai também, aplica-se a muitas espécies perenes e coníferas. Recolha das estacas no fim do verão e no início do outono com madeira já amadurecida.

Consiste en recolher ramos com uma parte amadurecida e outra mais tenra  e ainda verde na extremidade, em regra geral em agosto até meados de setembro.

Cortar um ramo  de 10 a 15 cm de comprimento, sempre abaixo de um nó, única zona onde podem nascer as futuras raízes. Tirar os galhos laterais e tirar também a quase totalidade das folhas, deixando apenas as 2 ou 3 últimas folhas, o objectivo é preservar as reservas nessas últimas folhas, que por outro lado não podem ser muito grandes para não desperdiçar a água pela evaporação (transpiração).

As estacas serão de seguida enterradas até metade da altura num substrato muito leve, apertando bem em volta para não deixar ar junto ao ramo o que provocaria a secura impedindo o nascimento de novas raízes. Manter num ambiente húmido tipo nevoeiro até começar a ganhar as primeiras raízes, depois passar a regar  com micro aspersores.

Leia mais sobre “estacas


 

O que é um pré bonsai ?

Um pré bonsai é uma planta susceptível de ser transformada em bonsai, quer isso dizer que, com ferramenta adequada e arame, podemos definir um estilo de árvore em miniatura mais parecido com um espécime na natureza.

O pré bonsai é uma pequena árvore com alguma particularidade, que pode gerar um magnifico bonsai, para isso é necessário alguma imaginação, tempo e dedicação. 

Por vezes, basta apenas criar algumas curvas, aramar ramos maiores, dirigi-los para formar o estilo desejado e podar os ramos mais finos para ter um aspecto de “bonsai”.

Para ajudar nessa tarefa, praticamos a aramação do bonsai:

A colocação do arame tem uma importância fundamental na estética  do bonsai.

 

É a operação que permite orientar e dirigir os ramos, processo determinante na estilização que pretendemos dar ao nosso bonsai, dando a harmonia e mais especificamente o estilo desejado.

Por norma utilizamos um arame com 30 % do diâmetro do ramo que queremos moldar, por exemplo um ramo com 10 mm de diâmetro = um arame com 3 mm de diâmetro. Basta 

fazer um teste e ver se o arame segura o ramo ou se é o contrário, neste caso muda-se para um arame mais grosso.

O comprimento do arame corresponde +/- a duas ou três vezes o comprimento do ramo a moldar. Ler mais sobre a aramação de bonsai >

 

Um pré- bonsai não se consegue de um dia para o  outro, mas sim ao fim de alguns anos, pelo menos quatro a cinco anos são necessários para ter um resultado satisfatório e muito mais anos para obter um verdadeiro bonsai.

A poda das raízes é importante nesta fase, é graças ao corte e à respectiva redução das raízes principais que podemos conseguir o aumento do volume das raízes secundárias e mais finas. De facto o bonsai, contrariamente a uma árvore na natureza, não necessita de raízes grossas para ficar “preso” ao solo, mas sim de uma multitude de raízes secundárias para ajudar no desenvolvimento de uma ramificação mais intensa e mais fina. 

 

O facto de limitar o desenvolvimento de raízes principais também ajuda a favorecer o alargamento do nebari, (expressão japonesa que significa raízes rasantes).

Na natureza um dos aspetos mais bonitos de uma árvore são as raízes que transmitem a força desenvolvida para segurar a árvore ao solo. 

 

Chama-se nebari a base do tronco juntamente com as raízes superficiais.

A essência da cultura do bonsai fundamenta-se no alcance da perfeição do nebari, ou seja o sistema radicular apurado que vai permitir proporcionar um melhor desenvolvimento da estrutura aérea.   

O nebari consegue-se com tempo e paciência, o melhor resultado obtém-se a partir de sementeira e cultivando o bonsai sempre em vaso e quanto mais raso melhor, evitando assim que as raízes procurem descer no solo.

  

Para obter um bom nebari temos que realizar transplantes frequentes, cortar a raiz principal (axial), dirigir e ordenar de forma equilibrada as raízes secundárias (lenhosas), são essas que vão segurar o bonsai ao solo e as mais finas, não lenhosas, cuja missão é a absorção e o transporte dos elementos nutritivos.

 

As raízes lenhosas são a estrutura radicular e o alicerce do bonsai, crescem todos os anos em comprimento e diâmetro, conduzem a seiva, são o suporte das raízes finas, também acumulam reservas mas não têm micorrizas.

 

As raízes finas existem em grande quantidade, são muito frágeis e vivem pouco tempo, por norma só crescem em comprimento mas não em diâmetro, excepto quando se transformam em raízes lenhosas,são através delas que o bonsai consegue absorver a água e os nutrientes necessários e fundamentais. As raízes finas têm micorrizas.

As micorrizas são associações simbióticas desenvolvidas pela raízes com alguns fungos do solo, favorecendo a absorção dos elementos nutritivos. São mais visíveis no sistema no sistema radicular dos pinus.



 

A poda do bonsai

Porque podar o bonsai?

Como já vimos existem dois tipos de poda de bonsais:

A poda de manutenção, mais leve que a poda de estruturação que equivale a cortar os ramos novos, regra geral quando o bonsai tiver seis folhas novas, deixar apenas as duas primeiras. A principal característica da poda de manutenção é de manter o aspecto visual do bonsai, conforme foi definido pela poda de estruturação.

 A poda de estruturação do bonsai permite manter a árvore compacta e definida

A poda de estruturação consiste em definir as bases gerais do tronco e dos ramos principais, elementos decisivos para transmitir a percepção que o autor quer dar ao seu bonsai: força, elegância, ligeireza, movimento… poda que também pode ser realizada ao mesmo tempo que o transplante e assim aproveitar para conseguir o equilíbrio entre a parte aérea e a parte radicular. 

 

                   

A maioria das espécies de árvores transformadas em bonsai tem dominância apical, significa que o crescimento é favorecido nos brotos terminais, seja no ápice ou nas extremidades dos ramos, em detrimento dos outros ramos secundários mais baixos.

           

O objetivo principal da poda de estruturação, é a estética do bonsai, provocando uma nova rebentação mais compacta e sobretudo mais perto dos ramos primários de forma a equilibrar a entrada da luz e dar mais vitalidade aos ramos mais baixos e de segundo nível.

 

Estamos assim a melhor distribuir a energia no conjunto dos ramos a partir do início da árvore e não no fim, como acontece na natureza por razões de sobrevivência.

No bonsai temos possibilidade de remediar  esse problema, reequilibrando as forças e a energia através da poda de estruturação.

 

A poda regular dos ramos tem como finalidade o aumento do número de brotos e visto as raízes estarem limitadas num espaço reduzido no vaso, o bonsai deve repartir a energia em direcção a uma maior quantidade de folhas, que ficam assim cada vez mais pequenas.

 

É a lei da proporção, quanto mais folhas houver para alimentar, mais pequenas se tornam  é um fenômeno natural, mas que podemos ajudar a provocar.

 

A rega do bonsai:

Porquê regar o bonsai?

A água é essencial para qualquer tipo de vida, mas no caso do bonsai, cuidado com a falta ou o excesso de água.

 

 

A rega do bonsai é o passo primordial para o sucesso.

 

O vaso do bonsai é muito reduzido e consequentemente não possui grande reserva de água e nutrientes, se não regar o bonsai antes de a terra secar por completo, as raízes vão também enfraquecer o que fará com que as folhas  murchem e começam a cair, o bonsai pode  acabar por morrer!

Se as raízes não ficarem completamente desidratadas poderá salvar o bonsai com uma rega abundante a seguir.

 

Em contrapartida o excesso de água também pode acontecer e é igualmente prejudicável ao  bonsai que não pode ficar constantemente num substrato húmido.

 

É por isso que aconselhamos sempre o uso da Akadama, substrato ideal para o envasamento do bonsai e com a particularidade de ser mais fácil distinguir quando está seco (mais claro) ou humido (mais escuro), facilitando assim a tarefa de quem tem a responsabilidade da rega.

A chave: frequência e qualidade.

 

Utilizar um regador de ralo fino, sempre virado para cima, e regar abundantemente mas lentamente para dar tempo à água de penetrar no substrato, até sair pelos furos do vaso.

 

Convém sempre regar o tronco e as folhas como se de chuva se tratasse.

 

Importante também, é não esquecer de regar o bonsai mesmo numa situação de repouso (inverno). Os dias mais curtos e as noites mais frias fazem, de maneira natural,  com que a circulação da seiva vá diminuindo lentamente de intensidade.

Mas o bonsai necessita de uma certa taxa de humidade para viver,  vigiar com regularidade se o torrão está suficientemente húmido.


 

O transplante do bonsai:

É uma fase necessária e indispensável na vida do bonsai. Em Portugal, iremos efectuar essa tarefa  a partir de dezembro até fim de fevereiro sempre antes do bonsai começar a brotar.

Em princípio esta operação deverá ser feita a cada 3 a 4 anos, o torrão deverá ter uma camada de raízes à sua volta, se não tiver pode não ser o momento certo para o transplante e terá que esperar mais um ano.

 

O transplante do bonsai tem como finalidade a renovação do substrato que ficou mais fraco, o corte de raízes muito compridas para provocar a ramificação de raízes mais finas junto ao tronco e também dar mais espaço ao torrão.

 

Podemos aproveitar também para corrigir a posição do bonsai no vaso.

Ao transplantar deveremos escolher um vaso de tamanho adequado, por norma acrescentaremos somente mais 5 cm à medida do vaso antigo.

Saber tudo sobre bonsais, o cultivo e o espírito!

A arte do bonsai é muito mais que tratar da planta em si, envolve-nos num mundo mais espiritual, mais íntimo e sobretudo mais natural. O ser humano necessita de um ambiente natural ao seu redor para viver em paz, coisa que hoje em dia, desapareceu do nosso quotidiano.

O Bonsai é perfeito, traz Natureza, Paz, Felicidade e Harmonia.        

 

Partilhe a nossa paixão....


 

 

Termos e Condições
A iberbonsai
Dicas e Conselhos
Catálogo
Siga-nos

Todos os valores incluem IVA à taxa em vigor

Copyright © IBERBONSAI.pt 2020

Desenvolvido por Optimeios

UA-144250790-1