IBERBONSAI.pt ::
Contactos
Qtd:
0
Total:
€ 0,00
0
Carrinho de Compras

 

 

 

Home

PESQUISA AVANÇADA
bonsai acer palmatum

 

bonsai acer palmatum

O bonsai acer palmatum é uma das espécies favoritas dos apaixonados do bonsai, muito apreciado pelas formas e cores originais.

 

 Ao contrário do acer buergerianum cuja folha só tem 3 lóbulos (tridente), conforme a variedade ou cultivar,

o bonsai acer palmatum tem de 5 a 7 lóbulos (pontas).

 

É o bonsai mais tradicional numa colecção, originário do Japão (em japonês o acer palmatum chama-se YAMA MOMIJI) é de folha caduca e a sua ramificação também é de uma excepcional delicadeza o que permite apreciar a estrutura da árvore no inverno.

Encontrámos várias centenas de variedades e cultivares de acer palmatum com a mesma particularidade de possuir folhas verdes (ou vermelho vivo no caso do acer P.  deshojo) no início da primavera, sendo substituídas pela esplêndida coloração amarelo alaranjado até ao vermelho escuro no outono.

É um verdadeiro espectáculo de cores no fim do verão, que faz o encanto dos possuidores de bonsai acer palmatum e que perdura até bem perto do Natal consoante a região e as condições climatéricas do ano.

 

 

Acer Palmatum Atropurpureum

 

É o acer palmatum que mantém sempre as suas folhas vermelho escuro e um pouco maiores que os demais, podendo mudar ligeiramente de tonalidade no outono.

O acer palmatum atropurpureum não tolera muito bem a desfolhação, é muito mais comum no mundo do bonsai encontrar o acer deshojo por apresentar folhas mais pequenas.

Multiplicação por estaca.

 

Curiosidade: as sementes de acer palmatum atropurpureum podem gerar plantas com folhas vermelhas assim como de folhas verdes.     

 

 

 

 

 

 

 


 

Acer Palmatum Atropurpureum Deshojo-iberbonsai-

 

 

É o acer mais utilizado em bonsai a seguir ao acer buergerianum.

 

Em japonês “shojo” quer dizer orangotango ou macaco de face vermelha.

 

O ponto forte deste acer reside na sua folhagem vermelho cor de sangue no início da brotação (primavera) cor emblemática do acer palmatum deshojo, passando a verde no verão e vermelho alaranjado no outono.

 

Durante a época de crescimento, as novas folhas nascem sempre vermelhas para mais tarde, ficarem verdes.

 

O acer palmatum deshojo requer uma certa protecção durante o verão com uma rede de sombra, é muito sensível ao vento e às queimaduras solares e não tolera o excesso de humidade, pelo contrário aprecia um curto período de seca.




 

 






 

Acer Palmatum Arakawa-iberbonsai-

 

 

Esta variedade de acer tem um crescimento muito vigoroso (arakawa em japonês quer dizer “casca rugosa”), a particularidade deste acer está na sua casca parecida com cortiça.

 

Enquanto jovem, a casca é verde ficando marmorizada de cinza ao envelhecer, a passagem de verde para cinza é sinal de maturidade.

 

A casca parecida com cortiça aparece perto dos cinco a seis anos de idade, sendo cada vez mais preeminente a cada ano se tiver as condições adequadas de cultivo.


 

 

 

 

 

 



 

                  Acer palmatum Shishigashira-iberbonsai-


 

É conhecido por “cabeça de leão” graça às suas riquíssimas folhas frisadas e muito recortadas, de cor verde brilhante que se mantém até ao outono, bem como da sua fascinante e muito delicada floração. 

 

Os seus ramos apresentam uma interessante arquitetura, o que o torna uma excelente escolha para bonsai.

 

 

 

 






 

Acer palmatum Kiyohime-iberbonsai-

 

 

Acer de pequeno porte, talvez o mais pequeno dos aceres palmatum, com ramificação corpulenta e pequenas folhas de três a quatro centímetros, com 5 lóbulos e com a seguinte particularidade: o bordo da folha que é verde na primavera passa a amarelo alaranjado no fim do verão e outono.

 

Cultivar de muito difícil manuseamento, sobretudo na aramação por ter ramos frágeis e quebradiços.

 

Cuidado também para não desestruturar a copa, o acer palmatum kiyohime não costuma reconstruir o ápice com facilidade.


 

 

 

 

 

 

 


 

              

acer palmatum Katsura-iberbonsai-

 

Impressionante pela sua tonalidade laranja brilhante na primavera e amarelo dourado no outono, o bonsai acer palmatum katsura tem o seu lugar numa colecção de bonsai, destacando-se pela sua folhagem notória com folhas de três centímetros e espaço entre-nós muito reduzido, o que facilita o seu tratamento como bonsai.

 

 

De fácil manutenção, pode ficar exposto ao sol directo, mas é preferível colocar alguma sombra nas horas mais quentes de verão para manter as suas belas tonalidades.

 

Mesmo sendo muito vigoroso, não necessita de podas regulares, mas sim de uma boa poda de formação durante o período de repouso.





 

 

 

 

 

 

 

 


 

acer palmatum yamamomiji -iberbonsai-

 

 

Este acer é notável pelo seu crescimento rápido e pelas suas sensacionais cores, as folhas verdes com as extremidades laranjas na primavera, passam a amarelo-laranja-vermelho vivo no outono.

 

A acrescentar também que as folhas do acer palmatum yamamomiji são naturalmente pequenas.


 

 

São alguns exemplos de bonsai acer palmatum.

 

As variedades de acer palmatum são tantas que não podemos enumerá-las todas, fizemos aqui um pequeno resumo de aceres palmatum mais utilizados em bonsai, criados e comercializados na iberbonsai.

 

A  seguir vamos descrever algumas dicas relativas a sementeira sobre diversos bonsais de aceres.

 

acer palmatum: estratificação fria a 3/5ºC durante três a quatro meses e sementeira na primavera. Uma grama contém mais ou menos sessenta sementes. Taxa de sucesso de trinta por cento.

 

acer palmatum dissectum: estratificação fria a 3/5ºC durante seis meses e sementeira a dezoito-vinte graus C. Taxa de sucesso de mais ou menos trinta por cento.

 

acer palmatum atropurpureum: imersão das sementes na água e estratificação fria a 3/5ºC durante três a cinco meses, sementeira na primavera a 18/20ºC.

 

acer palmatum dissectum atropurpureum: imersão das sementes durante três dias na água e estratificação fria a 3/5ºC durante seis meses, sementeira na primavera.

 

acer palmatum matsumurae "aka shigitatsu sawa": folha verde com tonalidade vermelho alaranjado, magnífica coloração no outono. Imersão das sementes na água a 48ºC e a seguir imersão na água á temperatura ambiente durante quarenta e oito horas. A seguir estratificação quente durante sessenta dias e estratificação fria durante cento e vinte dias, sementeira na primavera com temperatura de 18/20ºC. Taxa media de sucesso de 15%.

 

acer ukurundense: imersão das sementes durante setenta e doze horas na água. Estratificação fria a 3/5ºC durante cento e vinte dias e sementeira a 18/20ºC.

 

acer shirasawanum: imersão das sementes durante setenta e doza horas na água. Estratificação quente durante cento e vinte dias seguida de uma estratificação fria a 3/5ºC durante cento e vinte dias e sementeira na primavera a temperatura de 18/20ºC.

 

acer japonicum: imersão das sementes durante setenta e doze horas na água. Estratificação quente a 20ºC durante cento e vinte dias seguida de uma estratificação fria a 3/5ºC durante cento e vinte dias, sementeira na primavera com 18/20ºC.

 

acer japonicum green cascade: imersão das sementes durante quarenta e oito horas, estratificação quente durante cento e vinte dias seguida de uma estratificação fria durante cento e vinte dias, sementeira na primavera com 18/20ºC.

 

acer circinatum: estratificação quente durante sessenta dias, a seguir estratificação fria durante sessenta a noventa dias e sementeira na primavera com 18/20ºC

 

acer japonicum oisimi: imersão das sementes na água durante setenta duas horas. Estratificação quente á mais ou menos 20ºC durante cento e vinte dias e estratificação fria a 4ºC durante cento e vinte dias, sementeira na primavera.

 

acer cappadocicum "aureum": estratificação fria durante cento e vinte  á cento e sessenta dias e sementeira na primavera com 18/20ºC.

 

acer cissifolium: imersão das sementes na água durante quarenta e oito horas e estratificação fria durante noventa dias, sementeira na primavera.

 

acer miyabei: imersão das sementes na água durante vinte e quatro horas e estratificação fria durante noventa dias. Sementeira na primavera.

 

acer mandshuricum: imersão das sementes na água quente, mais imersão na água durante setenta e doze horas. Estratificação quente á 20ºC durante trinta dias e estratificação fria a 4ºC durante noventa a cento e vinte dias. Sementeira na primavera.

 

acer elegantulum: estratificação fria durante noventa dias á 3/5ºC e sementeira na primavera com 18/20ºC de dia e 12ºC de noite.

 

acer aconitifolium: imersão das sementes durante setenta e duas horas, estratificação quente á 18ºC durante cento e vinte dias e estratificação fria á 5ºC durante cento e vinte dias. Sementeira na primavera com 18/20ºC.

 

acer davidii: estratificação fria á 3/5ºC durante noventa dias e sementeira na primavera.

 

Vamos relembrar agora o que é a estratificação:

 

A estratificação consiste  em guardar as sementes num meio específico, num local quente ou frio dependendo das espécies.

Algumas espécies necessitam de uma estratificação quente para amadurecer o embrião da semente.

A estratificação a frio ajuda a semente a sair do periodo de "dormência" fragilizando o caroço, que fica mais quebradiço.

 

Na prática, a estratificação consiste em colocar as sementes numa mistura de areia com turfa fina (50/50), ligeiramente humidificada, mais ou menos 12-15%.

 

É recomendável peneirar a mistura, tanto a areia assim como a turfa fina, antes de colocar as sementes, será assim mais fácil recuperar as sementes no fim da estratificação.

Uma vez as sementes colocadas na mistura areia/turfa, juuntar tudo num saco plástico, esvaziar o ar e selar hermeticamente.

Colocar o saco plástico num local á 20ºC para uma estratificação quente e/ou no frio a 4ºC para uma estratificação fria.

 

O tempo de estratificação quente ou fria depende das espécies.

 

Vigiar com frequência a preparação para manter a humidade do substrato mais ou menos constante e assegurar que as sementes não comecem a germinar ou a apodrecer por excesso de humidade.

As sementes que germinarem podem ser retiradas e transplantadas, não podem ficar no substrato.

Em caso de aparecimento de fungos e como medida preventiva, convém aplicar um fungicida no substrato e um insecticida de solo.

 

No fim do periodo de estratificação, está na altura de praticar a sementeira.

 

Primeiro praparar um substrato composto por 1/3 de areia fina (de preferência lavada) e 2/3 de substrato a base de folhas (tipo turfa mas muito fino).

 

Segundo, encher os recipientes ou vasos, pisar ligeiramente com um pau ou uma tábua e repartir as sementes no substrato.

 

Cobrir as sementes com o mesmo substrato e colocar os recipientes ou vasos a 20/24ºC (à luz) durante o dia e 14/15ºC durante a noite.

 

Podemos cobrir com um filme plástico transparente para manter a temperatura e higrometria.

 

Nunca cobrir uma semente com substrato com mais que uma vez a sua espessura.

 

O bonsai acer palmatum de estaca:

 

Alguns aceres palmatum como o acer palmatum deshojo e o acer palmatum katsura por exemplo, podem ser multiplicados por estaca semilenhosa.

 

Ler mais sobre estaquia do bonsai>

 

 

posts>

 

 

Termos e Condições
A iberbonsai
Dicas e Conselhos
Catálogo
Siga-nos

Todos os valores incluem IVA à taxa em vigor

Copyright © IBERBONSAI.pt 2021

Desenvolvido por Optimeios

UA-144250790-1