IBERBONSAI.pt ::
ContactosContactos
CarrinhoQtd:
0
Total:
€ 0,00
Entrar no Carrinho
Carrinho de Compras
0
Carrinho Carrinho de Compras

 

 

 

Home

PESQUISA AVANÇADA
Botânica e o bonsai

Botânica e o bonsai.

O que é a botânica?

 

 

A botânica é o estudo científico das plantas.

O que consideramos plantas?

 

As plantas são as plantas vivas e todas as partes vivas de plantas, incluindo sementes e material reprodutivo.

 

O crescimento de uma planta consiste em três fases básicas:

 

- A germinação da semente

 

- O desenvolvimento da plântula

 

- O crescimento da plântula para uma planta adulta.

 

A semente.

 

As sementes são contidas nos frutos das plantas, após a floração e protegem o embrião da planta. Na natureza, permitem que a planta escape de condições adversas, quer afastando-se quer aguardando o regresso de circuntâncias mais favoráveis.

 

É um orgão adormecido que resulta da fertilização e desenvolvimento do óvulo nas plantas com flor, que após germinação é capaz de reproduzir um novo indivíduo.

 

Para formar uma semente precisamos que o pólen, que é transportado pelo vento, água e insectos como as abelhas, seja depositado no pistilo de uma flor da mesma espécie, para que a fertilização ocorra. O óvulo evolui então para uma semente.

 

A semente nasce da fertilização, ou seja, o resultado da união de um núcleo masculino de um grão de pólen e de um núcleo feminino no interior do óvulo.

 

Como é composta uma semente?

 

Os principais componentes de uma semente são o embrião, o envelope protector ou tegumento e uma reserva de nutrientes que podem ser armazenados nas diferentes partes.

 

Basicamente uma semente contém um germe, que é a plântula que dará a futura planta e também consiste em um ou dois cotilédones que representam as reservas alimentares da plântula.

 

O papel dos cotilédones é absorver e transformar as reservas alimentares constituidas pelo albúmen em benefício da plântula.

 

O albúmen é a parte da semente que envolve o embrião.

 

O embrião é um organismo vegetal que vive em estado fechado, ainda alimentado pelo organismo materno das reservas nutritivas e que ainda não possui todos os orgãos necessários para viver por si só.

 

Qual é a diferença entre grão e a semente?

 

O grão é o fruto do cereal contida na espiga, ao contrário da semente que é um óvulo fertilizado que dará origem a novas plantas após a germinação.

 

Curiosidade:

 

Quando uma semente germina, tem pouco tempo antes de ter esgotado as suas reservas para se transformar numa plântula capaz de fotossíntese e assim viver sozinha.

 

Na Primavera, quando a semente absorve a água e germina, ocorre o que chamamos a germinação. Graças às reservas da semente, o primeiro órgão a desenvolver-se é a radícula, que forma o sistema radicular, seguido de o caule com as primeiras folhas.

 

A radícula é uma pequena ponta que está em todas as sementes, uma pequena estrutura anatómica parecida com as raízes, é a forma embrionária da raiz principal de uma planta e representa a primeira parte da plântula a emergir da semente durante a germinação, cresce para baixo, o que chamamos de geotropismo positivo em oposição ao geotropismo negativo que dirige os caules principais para cima.

 

Portanto e para resumir, a plântula é o embrião de uma semente e o seu desenvolvimento começa com a germinação da semente, é um rebento jovem com apenas algumas folhas, ou mais precisamente dois cotilédones.

 

Agora que a nova planta nasceu, vamos ver quais são os principais componentes de uma árvore e de um bonsai.

 

Um bonsai é constituído por três partes principais: raízes, caules e folhas.

 

- As raízes:

 

Trata-se normalmente de um orgão subterrâneo cujo papel principal é absorver água e sais minerais essenciais à planta, como no caso do bonsai e também fixá-los ao solo a fim de manter uma posição vertical e resistir aos ventos e tempestades.

 

As raízes das árvores na natureza também desempenham um papel de segurança ao evitar que a árvore se afunde sob o seu próprio peso, o que não é, obviamente, o caso do bonsai.

 

Existem vários tipos de raízes, como por exemplo a raiz axial, que cortamos o mais rapidamente possível porque estamos interessados em criar um bonito Nebari para o bonsai e por isso convém cortar o mais rápido possível a raiz principal.

 

Depois há muitos outras, mas no bonsai o que procuramos é a criação de uma bola de raízes formada por muitas raízes laterais e finas.

São as raízes finas que alimentam o bonsai.

 

Importante:

As raízes de uma árvore estão frequentemente ligadas aos ramos do lado oposto da árvore. Para o bonsai devemos ter este princípio em mente para evitar cortar demasiado as raízes para não vermos os ramos correspondentes murcharem e secarem.

 

Como regra geral e pelas razões que acabámos de ver, ao transplantar o bonsai devemos reduzir a massa foliar nas mesmas proporções que as raízes.

Deixar mais raízes do que ramos não é prejudicial para a árvore, mas o contrário, isso é, reduzir mais raízes do que massa foliar, conduzirá inevitavelmente à morte de alguns ramos. Este fenómeno é particularmente visível nos Pinus que não gostam de ver as suas raízes cortadas.

 

- Os caules:

 

O caule é um orgão maioritariamente aéreo, servindo de revezamento entre as raízes e as folhas na troca de substâncias químicas. O caule é uma alternância de nós que são o ponto de partida dos órgãos laterais, tais como ramos, folhas e entrenós, flores e frutos.

 

O caule tem botões, que é um orgão de crescimento que dá origem a um novo rebento ou inflorescência.

Cada caule tem um botão terminal e vários botões axilares localizados na base das folhas.

 

O colarinho corresponde à transição caule-raiz, que é o que chamamos de Nebari no mundo do bonsai.

 

Ler artigo sobre o Nebari do bonsai

 

- As folhas:

 

Durante o seu desenvolvimento, a nova planta começa a produzir folhas verdadeiras.

 

Na morfologia vegetal, a folha, que pode ser simples ou composta, é o orgão especializado em fotossíntese.

 

Normalmente inserida nos caules das plantas nos nós, a folha é também responsável pela respiração e transpiração e é por isso uma força motriz da planta ou da árvore.

 

A folha é constituida por:

 

a - uma lámina foliar, que contém as células responsáveis pela fotossíntese, esta é a parte plana da folha;

 

b - o péciolo, onde passam os vasos condutores de seiva do caule até à lâmina, isto é o que corresponde à parte mais redonda entre o caule e a lâmina;

 

c - a nervura central e as nervuras secundárias.

 

A respiração ocorre a todo o momento, enquanto a fotossíntese só tem lugar na presença de luz.

A folha é o principal teatro de troca de gás e é responsável pela climatização da planta, optimizando a perda de água ao mínimo e tirando partido da quantidade máxima de luz.

Isto é possível graças aos estômatos, que são pequenas aberturas na epiderme da folha que controlam a perda de água através da evaporação e também controlam a troca de gás entre oxigénio e o dióxido de carbono para a fotossíntese.

 

Alguns conhecimentos de botânica ajudam a perceber o cultivo do bonsai

As plantas e as árvores, como o bonsai, não podem viver sem folhas. É graças às folhas que as plantas capturam o CO2 para se alimentarem e sintetizarem aminoácidos, acções tornadas possíveis pela utilização da luz solar.

 

A folha tem veias que são a extensão do pecíolo.

Distinguimos dois tipos de veias, a veia principal e as veias secundárias. É ao nível das veias que se encontram os tecidos condutores, como o xilema, onde circula a seiva bruta, cuja a função básica é o transporte da água com os nutrientes das raízes para os caules e as folhas.

 

📆 publicado em 10-04-2022

 

 

Topo
Termos e Condições
A iberbonsai
Dicas e Conselhos
Catálogo
Siga-nos

Todos os valores incluem IVA à taxa em vigor

Copyright © IBERBONSAI.pt 2022

Desenvolvido por Optimeios

UA-144250790-1 UA-144250790-1